13 junho 2007

dúvida existencial


Há muito tempo que andava a pensar mudar a iuca de vaso. As raízes estavam todas apertadas, sem espaço para respirar.
Foi hoje. Aproveitei a embalagem do escadote e mudei a iuca.
Já que há dias alguém resmungou que não tinha um espaço especial cá na quinta, inspirei-me numa sua certeza existencial (que, para mim, é uma grande dúvida) e arranjei um local apropriado para pensamentos filosóficos.
Acho que quem vier cá a casa há-de sair daqui com aquela frase na cabeça.
Será?
Não será?
Será que o meu é?
Sempre?
Não sei, mas acho que vou arranjar uma carga de trabalhos!!!

11 Comments:

Blogger TINTA PERMANENTE said...

Creio que a resposta já foi dada: será, desde que... tenha espaço!...

13/6/07 14:53  
Blogger anete joaquim said...

Olhe que mesmo assim... Não sei! Às vezes, nesse espaço que se cobiça, começa o vazio do amor!

13/6/07 15:13  
Anonymous Anónimo said...

Minha querida, o amor nunca está cheio. Quem quizer terá sempre um lugarzinho para ele. Isto não é filosofar, é sentir que sempre que se queira há amor. J.S.

13/6/07 18:52  
Blogger anete joaquim said...

Meu Deus! Mas você é mesmo um iludido! Se assim fosse, andava todo o mundo feliz! Bastava querer amar e ser amado. A vida não é assim, JS! Olhe que na maior parte dos casais um ama e o outro é amado. Claro que este último sente-se muito bem. Até perceber que ser amado sem amar cria um vazio no peito que até faz dó! Por isso é que prefiro amar, mesmo não tendo a certeza de ser amada. Amar, sim, é que faz com que a vida tenha todo o sentido!

13/6/07 20:33  
Anonymous Mr said...

E que tratado!
Mas estou consigo.
E de repente o amor anda no ar.
O cantinho da Anete inspirou.
Um abraço

13/6/07 23:45  
Blogger anete joaquim said...

Pois olhe só o que o JS foi arranjar com aquela frase! Está a pôr-nos a pensar no assunto até à exaustão! Quase que já nem durmo só a pensar se o amor será mesmo perfeito. Mas ele não podia ter ficado caladinho????

14/6/07 01:01  
Anonymous maria diegues said...

Acabei de refrescar o olhar nas lindas flores que nos ofereces, já copiei algumas para o meu ecran e agora respondo à pergunta:

Será o amor sempre perfeito?

Acho que não... e desculpem se desiludo alguém.
Bjs.

14/6/07 10:01  
Anonymous Anónimo said...

Agora parece que entendi o seu conceito de Amor. Nem só de pão vive o homem. Será que Amor se refere ao ser humano que nos rodeia, ou ao casal?Será que não há coisas que amamos eternamente? Separemos as águas e veremos que continuo com a "ilusão". Isto realmente sobre o Amor dá para defender uma tese,fazer um colóquio, enfim dá para tudo o que quizermos, no entanto para mim continuo com a mesma "ilusão". Quase que estamos a fazer do seu blog uma tertúlia. Defendamos os nossos pontos de vista consoante a razão que pretendemos ter... bjs j.S.

14/6/07 12:40  
Blogger anete joaquim said...

Oh, João, mas não é tão bom estarmos para aqui a conversar sobre uma coisa séria, que diz respeito a todos e a todos interessa? À sombrinha da nespereira e tudo.
Quanto ao tema, se para si amor é uma palavra abrangente, que envolve as coisas e outras pessoas de que gostamos, aí é diferente. É um sentimento individual, mas a que eu não chamaria amor, no sentido mais usado do termo. É claro que amo a minha mãe e os meus filhos, mas, mesmo assim, será esse amor perfeito? Não gosto da ideia do perfeito, entende? É como se já não houvesse nada mais que se pudesse fazer. Atingiu-se o auge. Acho que isso nunca se consegue. É sempre possível ir mais longe. Acredito no amor, nas suas variadíssimas formas. Só não creio que seja perfeito. Até porque as razões pelas quais amamos nem sempre são as melhores. E, creia, não escrevi a frase no vaso só para provocar discussões. Achei que era uma questão pertinente e sobre a qual nem sempre pensamos. Acho, também, que deu um outro "recheio" ao jardim. Além disso, você sabe muito bem que foi uma forma de lhe atribuir um cantinho no jardim, tal como já acontece com a Maria, com a mr, a Ana e o ez.
Mas a tertúlia vale e vai valer sempre que vier alguém ao jardim verdadeiro e vir aquele vaso. Por sua causa. Porque ficou ali, naquele cantinho, um pouco de si. A isso não chamo amor, mas carinho, ternura, agradecimento pela sua presença. Bem haja! Até porque conseguiu que a Maria aparecesse!

Oh, Maria,
por onde tens andado, que nem tens vindo vigiar o teu gato? Está para ali há tanto tempo deitado, à tua espera. Ou julgavas que já o tinha "enxotado do sítio?

14/6/07 19:47  
Anonymous Anónimo said...

Pode crer que fiquei muito sensibilizado com o célebre cantinho. Estou muito grato. Pode ser que um dia possamos falar tete a tete sobre a filosofia do amor. Vou deixar tudo como está . Dou razão a todos que se interessaram pelo Amor Perfeito. B.J. J.S.

15/6/07 19:43  
Anonymous Mr said...

Boa noite
É tão bom saber que temos um cantinho. Vai funcionar sempre como um porto de abrigo.
E um ola para a Maria. É bom vê-la de novo.
Fiquem bem.

15/6/07 20:51  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home